Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dos Meus Livros

A literatura é a maneira mais agradável de ignorar a vida. Fernando Pessoa.

| 246 |

- Ela sofreu tanto... Sabes uma coisa, Wadi? Pergunto-me como é que os sobreviventes dos campos são capazes de viver...

(...)

- (...) Ninguém pode sair imune de tanto sofrimento.

- A questão é aprender a viver com ele - afirmou Wadi.

Dispara, Eu Já Estou Morto

Julia Navarro

| 244 |

- Tivemos sorte - disse Katia.

- Não foi sorte, é Deus que nos protege - garantiu a irmã Marie-Madeleine.

- E porque é que Deus não protege sempre todos aqueles que precisam? Sabe, irmã, quantas crianças perderam os seus pais e quantos pais perderam os seus filhos? Diga-me, porque é que Deus permite esta guerra? Se somos todos seus filhos, tal como a senhora não deixa de repetir, porque é que permite que nós, seus filhos, pelo facto de sermos judeus, sejamos perseguidos há séculos? - Dalida tinha levantado a voz. Há algum tempo que tinha deixado de ver a mão de Deus. A irmã Marie-Madeleine também não tinha resposta.

Dispara, Eu Já Estou Morto

Julia Navarro

| 243 |

- Por acaso o senhor não acredita em Deus - perguntou a freira.

(...)

- Não, irmã, não acredito em Deus, mas isso não me impede de ser uma pessoa decente e de ter consciência. A senhora salva essas crianças pelo seu Deus, eu luto contra os nazis e acredito que todos os seres humanos são iguais, não interessa a raça nem a religião. Que cada um atue de acordo com as suas crenças. Irmã, eu não me meto nas suas, por isso terá de respeitar as minhas.

Dispara, Eu Já Estou Morto

Julia Navarro